segunda-feira, 20 de maio de 2013

Esquecidos Porém Vivos!


O povo sertanejo sofre por décadas o isolamento e por serem esquecidos pelo governo, políticos, enfim; isto não é novidade para ninguém. O que me impressiona é o fato de também por décadas o povo sertanejo serem esquecidos pela igreja, isto mesmo, a igreja não lembrou do sertão, é por isso que hoje encontramos pessoas que não conhecem a Jesus e vivem presas em suas supertições, romarias, e sendo a idolatria uma das principais características, isto porque apesar de tudo, o sertanejo é um povo de fé, embora construída em cima de supertições e de sua cultura matriarcal. Glorifico a Deus porque o Sertão esta começando a ser lembrado por todos, lembro-me que em grandes conferências de missões, falavam das janelas 10/40, dos desafios na áfrica e de países perseguidos, enquanto isso o sertão continuava esquecido. Não posso deixar de fazer referência a Juvep que a 30 anos tem feito este papel, começou pequena e foi e esta sendo perseverante em sua luta, e assim pôde influenciar vários missionários com o desejo de alcançar os esquecidos, inspirou novas missões e parcerias estão sendo feitas para alcançar um povo hospitaleiro que gosta de uma prosa.
O desafio é enorme, afinal de contas são mais 14 milhões de sertanejos que precisam do evangelho. Ei, mais uma coisa tem me intrigado, embora tantas iniciativas tenham sido feitas, precisamos observar que existe os dois modelos de sertão, o urbano e o rural, há por parte de algumas poucas igrejas o desejo de alcançar o sertão urbano, e o rural? Parece continuar esquecido, enquanto Jesus ensina com sua atitudes: “Jesus ia passando por todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando as boas novas do Reino e curando todas as enfermidades e doenças. Mateus 9:35” O sertão rural não é um sertão de grandes templos, de cotas denominacionais, talvez o sertão rural nunca tenha condições de manter um obreiro em tempo integral... Mas este povo com toda sua simplicidade precisam de Jesus, mesmo na sua forma simples de agir, ser e viver. Levar o evangelho ao sertão rural não é uma tarefa fácil, nunca foi, na sua maioria, são lugares inóspitos, mas não podemos negar que é uma tarefa nossa, o meu convite é: Vamos nos lembrar dos povoados esquecidos, eles estão vivos.

Cleber Campos, Missionário Sertanejo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A História de Mary Jones